Relato sobre a reunião de 18 de março

Ventava, garoava e fazia frio, estranhamente em pleno final de verão. Mas aqui em Santo André tudo é possível.

Iniciamos a reunião com o atraso habitual fazendo a avaliação de nossa manifestação pública no centro da cidade. Todos concordaram que o evento foi muito bom e que a participação da população foi positiva: entraram na nossa rodada de conversas, participaram, cantaram, dançaram e alguns, até, nos auxiliaram na colagem dos cartazes ou na distribuição do manifesto: 4 mil manifestos distribuídos, nenhum papel jogado no chão.

Ordem, limpeza e arte nas ruas. Um ato social e político que se mostrou na forma de uma grande festa, finalizada em uma ciranda.

Quem não entendeu foi o Governo que rasgou nossas bocas nos cartazes, pintou nossas mensagens (e deixou mais feia nossa cidade). Outra vez tentam nos calar. Avançamos!

Recebemos também duas mensagens de representantes do Governo Municipal:

  1. A Sra Juliana Gatone, secretária adjunta de comunicação, se propôs a intermediar uma conversa do Movimento com o Gabinete. Aceitamos marcar uma reunião com o Prefeito Carlos Grana e sugerimos como data os dias : 27 de março (quarta-feira); 01 de abril (segunda-feira) ou 04 de abril (quinta-feira), sempre no horário das 19 horas. Vamos aguardar.
  2. O Sr Alberto, secretário de orçamento e planejamento, solicitou a indicação de quatro a cinco pessoas para debater com ele e a secretaria de obras o programa de necessidades do Cine Carlos Gomes. Nos negamos a participar de mais uma reunião de portas fechadas. A documentação que produzimos no ano passado sobre o Carlos Gomes é suficiente para estabelecer um programa de necessidades para o edifício.

Ainda sobre o ato, decidiu-se levar a cada vereador uma cópia do manifesto, realizando um ato na Câmara com a presença de grande número de participantes do movimento. Data inicial: 28 de março às 15 hs.

Aprovamos organizar o máximo de informações sobre os efeitos do ato reunindo as fotos, os posts que nossos amigos fizeram das fotos, etc etc.. Juntar as informações para mostrar que o ato não foi ofensivo à ninguém e atingiu muitas pessoas – virtual e presencialmente.

A reunião prosseguiu com o debate sobre a conferência de cultura e o conselho municipal de cultura. Decidiu-se por:

  1. Protocolar requerimento à Prefeitura, com cópia à Ouvidoria, questionando prazos para a instalação do conselho e o cronograma para realização da conferência para garantir a discussão transparente sobre os temas;
  2. Levantar informações mais claras sobre o processo de eleição. Se for o caso, realizar uma reunião específica para ler legislação e regulamento do conselho para fortalecer nossas posições no processo;
  3. Estudar a organização da Conferência Livre de Cultura, com caráter regional. Para isso foi montado um grupo formado por: Marcello, Bárbara, Edson, Neri, Denise, Rosenaye, em conjunto com os grupos de São Caetano.
Anúncios