Arquivo do mês: outubro 2014

CARTA ABERTA AO PREFEITO CARLOS GRANA

Atentos aos fatos que ocorreram na Secretaria de Cultura e Turismo nas últimas semanas, vimos a público nos manifestar, primeiramente, sobre o balanço de atividades que o senhor ex-secretário diz ter executado:

  1. Criação da Pinacoteca Municipal: na realidade o que foi criado no prédio da Secretaria da Cultura foi mais um espaço para exposição sem dimensões suficientes para expor grandes obras, como a que temos no acervo municipal e sem adequações climáticas ou reserva técnica para conservação das obras de arte desse acervo. Além disso, o munícipe perdeu a biblioteca de periódicos, um dos espaços mais utilizados da Biblioteca Nair de Lacerda;
  2. Instalação do Espaço de Exposições Fotográfica – João Colovatti: sem retirar a importância deste fotógrafo para a cidade, o espaço apresenta uma série de inadequações no que se refere à sua localização, dimensão e condições técnicas de iluminação e suporte para as exposições;
  3. Restauração do Museu de Santo André; Restauração da Casa do Olhar e Restauração da Casa da Palavra: não houve restauro, apenas pintura;
  4. Restauração do Teatro Municipal: intervenção bastante questionada, a obra realizada retirou elementos de absorção do som projetados para o edifício. Além disso, a obra foi realizada sem profissional especializado em restauro;
  5. Criação do espaço permanente – Memória de Santo André: mais um espaço implantado sem as condições necessárias para a fruição e que reduz a importância do Museu de Santo André como espaço de pesquisa e memória da cidade;
  6. Restauração da Concha Acústica (Que foi retirada a cobertura, sem o conhecimento da Secretaria de Cultura): não foi um restauro, mas um remendo para encobrir a retirada desastrosa da cobertura da concha acústica;
  7. Restauração dos Monumentos da cidade: não foi um restauro, e sim o uso de tinta óleo para recobrir as esculturas da cidade e uma tentativa frustrada de retirar a tinta depois de muitas críticas realizadas. Muitas de nossas esculturas ainda estão com restos de tinta à espera de um restauro;
  8. Adequação e reforma dos espaços da Biblioteca Municipal: nossa biblioteca municipal perdeu espaços, como dizemos anteriormente, para atender caprichos do então secretário na criação de mais um espaço (inadequado) de exposições;
  9. Criação da Agenda Cultural da cidade: a agenda sempre existiu, não foi criada agora, porém, o que temos tem uma apresentação gráfica muito ruim;
  10. Monumento ao Trabalhador – Tomie Ohtake: até onde foi divulgado, esta obra foi um presente do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e não uma ação da Prefeitura. Ao mesmo tempo, vale destacar, que a localização da escultura foi uma sugestão do movimento social, já que o então secretário queria coloca-la em local inadequado que destruiria a amplitude da Praça IV Centenário.

Ao mesmo tempo, gostaríamos de destacar que a desastrosa atuação do então secretário reduziu fortemente o setor de formação cultural nas EMIA’s, EMIA-Cidade e Escolas Livres, tanto em quantidade como em qualidade, sem dar alternativas para os moradores da cidade de experimentar ou aprofundar conhecimentos em arte e cultura.

Nesse sentido, consideramos que o momento atual em que há a necessidade de se buscar nomes para compor um novo gabinete para a Secretaria de Cultura e Turismo, a Prefeitura de Santo André deve retomar as propostas aprovadas no Plano de Governo 2012/2016, criando mecanismos para a elaboração, de forma participativa, do Plano Municipal de Cultura e a reformulação do Conselho Municipal de Cultura, garantindo, definitivamente, a inserção do município no Sistema Nacional de Cultura.

ASSINE AQUI

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized